sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

A Independência dos Estados Unidos



A Inglaterra continuou baixando leis para arrecadar tributos e combater o contrabando.

Com base em idéias iluministas, as 13 colônias organizaram em 1774 o 1º congresso da Filadélfia, onde foi redigida a declaração dos direitos dos colonos. O documento dizia que eles, como cidadãos ingleses, não podiam ser taxados sem serem consultados.

A Inglaterra considerou as colônias em estado de rebelião e baixou em 1775 o ato restritivo, proibindo o comércio com outros países, sob pena de apreensão de navios.

Surgiram os primeiros choques armados. Em Lexington, a 10 de abril de 1775. Os britânicos foram derrotados, sofrendo mil baixas. A 4 de julho de 1776 lançaram a declaração de independência, redigida por Thomas Jefferson, e passaram a arrecadar recursos para a formação de um exército, cujo o comando foi entregue a George Washington, um rico proprietário do sul.

Embora proclamada oficialmente, levou alguns anos para ser conquistada de fato. O exército americano não estava suficientemente organizado e não tinha recursos financeiros para enfrentar ingleses.

Seu grande trunfo eram as ações de sabotagem. Franklim pediu reforço na França e na Espanha. Isolada e derrotada, a Inglaterra acabou reconhecendo a independência.

Após adotada uma constituição, o primeiro presidente foi George Washington.

2 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

Mais um bom texto para enriquecer as nossas aulas em 2011! Valeu!
Abraços, :)

Luiz Reginaldo Silva disse...

Mais uma vez agradeço sua passagem por aqui.

Sou muito grato por tamanha honra.

Como voce mesmo disse, VALEU!

Luiz Reginaldo.