sexta-feira, 18 de novembro de 2011

O Helenismo Grego



O período helenístico é marcado pelo domínio da Macedônia e pela mistura das culturas gregas e oriental.

Após as guerras fratricidas( gregos contra gregos) o império grego ficou bastante enfraquecido. Todas essa lutas ocasionaram a morte de milhares de pessoas, levando ao enfraquecimento político, econômico das cidades-estado gregas. Muitos escravos aproveitaram essa desorganização e fugiram. Esse enfraquecimento proporcionou aos Macedônios a conquista do mundo grego.

O domínio Macedônico
A antiga Macedônia localizava-se ao norte da Tessália. É uma região montanhosa unida por três rios. Suas principal cidade era PELLA. Suas florestas de pinheirais favoreciam as madeiras para a construção de navios e eram ricos em minas de ouro e prata.

Organização Política
Na Macedônia o governo passou a ser exercido por uma monarquia(governo de um só rei). Filipe II foi o primeiro, assim que subiu ao poder redistribuiu terras conquistando os camponeses. Ele também ampliou o exercito, criou uma cavalaria composta por grandes proprietários rurais. Filipe morou em Tebas. Foi nessa cidade grega que ele aprendeu técnicas militares. Quando voltou para Macedônia utilizou as estratégias aprendidas para unificar a Grécia. Foi assim que em 338 a.C. o exército de Filipe enfrentou Atenas e Tebas,derrotando-os e levando ao fim da independência política das cidades-estado gregas. Ele submeteu os gregos a um comando unificado. Sua intenção era preparar os gregos e Macedônios para lutar contra a Pérsia( um antigo inimigo). Porém, ele morreu antes que essa batalha acontecesse.

Império de Alexandre
Com a morte de Filipe, quem assumiu foi seu filho Alexandre III, também conhecido como Alexandre "o Grande". Assim que ele assumiu reprimiu as tentativas de rebelião das cidades gregas, conseguindo assim se fixar no poder. Ele já havia conseguido o poder da Grécia. Foi na batalha de Issus que derrotou Dário III e se tornou imperador da Pérsia. A seguir, partiu rumo a África e a Ásia. Em dez anos, Alexandre e seu exercito conquistaram a Síria, Fenícia, Palestina, parte da Índia e do Egito onde fundou a cidade de Alexandria. Devido a todas essas conquistas militares foi que o famoso Alexandre ficou conhecido como " O Grande".

Herdou de seu pai a habilidade política. Os povos conquistados puderam continuar com suas próprias tradições, religião e cultura. Admitiu jovens persas no seu exercito, promoveu casamento entre soldados e mulheres orientais e incentivou a troca de informações entre os diferentes povos de seu império.

ESSE FOI O PONTO PRINCIPAL PARA QUE ELE CONSEGUISSE MANTER SEU DOMÍNIO, NÃO IMPÔS A ESSES POVOS UMA TRADIÇÃO, UMA CULTURA ÚNICA. DEIXOU QUE ELES CONTINUASSEM SEGUINDO SEUS COSTUMES.

Sua postura acabou estimulando os gregos a conheceram a cultura oriental e difundir sua própria língua.Ele fundou dezenas de cidades com uma certa autonomia, mas ligadas ao poder central que serviam como um mercado de troca econômica e cultural. Alexandre morreu de febre, com malária. Após sua morte não houve mais conquistas territoriais e seu império foi dividido em 4 reinos: 1- Macedônia 2- Pérgamo 3- Egito 4- Salêucia.

Cada um dos reinos ficou com os generais mais velhos. A crise política-econômica desses reinos e o crescimento de novas civilizações levou império de Alexandre ao fim. Os romanos conquistaram a maior parte desses territórios, levando ao fim do período helenístico.

9 comentários:

Prof. Adinalzir disse...

Passar por aqui é sempre aprender um pouco mais. Parabéns pelo texto!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Prof. Luiz Reginaldo Silva
Um Feliz Natal e que o Ano Novo seja repleto de realizações, cheio de alegria, amor e paz! Abraços fraternos!

SAM disse...

Amigo Luiz,

Adorei saber mais um pouco através deste maravilhoso post. Quando menina, nos tempos de escola , tinha especial admiração por Alexandre O Grande ( lembro até de uma redação escolar que escrevi que ele tinha olhos de cores diferentes rsrsrs).


Um abençoado, feliz e próspero 2012 para você e toda família. Beijos com carinho e abraço amigo de gratidão.

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Prof. Luiz Reginaldo
Passando por aqui para agradecer a sua visita ao Saiba História.
Valeu!!!

Prof. Adinalzir disse...

Prezado Prof. Luiz Reginaldo
Tem postagens novas lá no Saiba História, passe por lá. Abraços e um ótimo carnaval!

Prof. Adinalzir disse...

Olha ai o Saiba História passando para dizer que tem postagens novas lá no blog. Um grande abraço! :-)

Genny Xavier disse...

Querido Luiz,

É bom retornar ao seu blog e encontrar sempre postagens tão interessantes... Como minha amiga Sarita (SAM), sempre gostei das épicas aventuras que lia sobre os grandes feitos de Alexandre. Todas essa histórias me fascinavam, como me fascinam até hoje, especialmente quando trabalho com os meus alunos a contextualização histórica e cultural dos períodos literários, como o do Classicismo Grego.
Beijos
Genny

Prof. Adinalzir disse...

Curtindo o conhecimento e sentindo falta das suas postagens... e dando uma passadinha por para convidá-lo a visitar os novos textos do Saiba História. Fica a dica!
Abraços,

Luciana Goyaz - Advogada (Practicing Attorney) disse...

Parabéns pelo seu blog meu amigo Luiz Reginaldo Silva, pela corrente de idéias e muitos conhecimentos que, com certeza, fazem parte do seu dia a dia. Esse período da história, considero de grande relevância para todos nós, porque nos traz uma noção daquele conjunto de todos os valores da civilização grega. A civilização da Grécia clássica nos séculos V e VI a.C., quando atingiu seu maior esplendor. A difusão das idéias gregas pelos outros povos. Especialmente quando nos faz diferenciar as qualidades sócio-culturais que distinguiam os gregos dos não gregos ou bárbaros. Acho lindo o termo HELENISMO, criado pelo historiador alemão Droysen para designar o período entre os séculos IV e I a.C., no qual a civilização grega passou a ser patrimônio comum dos povos mediterrâneos. A fonte do qual eu sei estes pormenores são de algumas enciclopédias que eu li. Abraços amigo. Excelente semana natalina para todos nós.